Área do Associado
Artigos
____
Alimentação de bezzeras

A criação das bezerras é uma etapa de custos elevados devido ao uso do leite, produto de venda da propriedade e as altas taxas de mortalidade e morbidade. As bezerras são o futuro do rebanho e por isso devem ser bem criadas. O manejo nutricional deve ser bem feito e com atenção, para que as bezerras tenham menores taxas de morbidade, mortalidade e altas taxas de ganho de peso que estão associadas a maior produção de leite no futuro.

O local de nascimento é importante para a saúde dos bezerros e deve ter boas condições de higiene com pastagem bem formada, ser seco, com boa drenagem, sombra de 4m²/vaca, baixa taxa de lotação (56m2/animal) e espaço de cocho suficiente (80 a 90 cm/animal). Esse ambiente é necessário para reduzir a ocorrência de infecções umbilicais e impedir que os bezerros mamem o colostro em tetos sujos de fezes, urina e barro. Os agentes que causam diarréia estão presentes nas fezes e quando os bezerros mamam o colostro em tetos sujos eles se contaminam e apresentam diarréia entre 3 a 10 dias após o nascimento.

A cura de umbigo é importante para proteger o bezerro da entrada de microrganismos no corpo. A cura deve ser realizada nas primeiras horas após o nascimento com tintura de iodo (5 a 7%) e deve ser repetida no mínimo uma vez por dia, durante três a cinco dias. Os bezerros com inflamação do umbigo ingerem menos alimento e ganham menos peso, comprometendo seu desempenho, e também são mais susceptíveis a ocorrência de outras doenças.

Os anticorpos são responsáveis pela proteção do organismo a infecções e doenças, sendo estes ausentes no bezerro recém nascido. Isto se deve ao fato da placenta dos bovinos serem impermeáveis à passagem de anticorpos, não havendo a possibilidade da transmissão de imunidade da mãe para o feto durante a gestação. Logo, a única forma desta transmissão ocorrer é pela ingestão do colostro, que além de anticorpos é também rico em nutrientes e hormônios necessários ao desenvolvimento do animal. Os bezerros F1 Holandês/Zebu e 3/4 Holandês Zebu devem receber pelo menos 3 litros de colostro nas 6 primeiras horas após o nascimento e os outros bezerros mestiços e de raças puras recebam 4 litros.

O melhor alimento para os bezerros até os dois meses de vida é o leite, mas para o desenvolvimento do rúmen é fundamental a partir do terceiro dia de vida o fornecimento de água e concentrado com 20 a 22% de proteína e próximo a 80% de NDT ter em sua formulação milho, soja minerais e vitaminas. No momento da desmama, o bezerro deve possuir rúmen funcional, capaz de realizar a digestão de alimentos volumosos. Se ele não recebe concentrado desde o terceiro dia de vida seguramente na desmama ele não tem rúmen de bom tamanho e vai perder peso aumentando as chances de doenças.

Nos primeiros 30 dias de vida mesmo recebendo o concentrado o bezerro terá como fonte de alimento mais importante o leite, já que o rúmen ainda está sendo preparado para utilizar o alimento sólido. Atualmente o volume recomendado para ser oferecido aos bezerros é 6 litros de leite/dia. Estudos demonstram que esse maior volume proporciona melhor desenvolvimento dos bezerros, com menor incidência de doenças e maior produção de leite nas lactações futuras.

O colostro excedente e o leite de transição podem ser utilizados como fonte alternativa de alimento para os bezerros. Esses têm como vantagem o aproveitamento de um produto sem valor comercial, além de possuir bom valor nutricional. Ao utilizar o colostro fresco para outros bezerros ele deve ser diluído com uma parte de colostro para uma de água.

Alimentação de bezzeras

 

O sucedâneo é uma combinação de produtos de origem vegetal e animal destinado a substituir o leite. É um alimento alternativo, que pode ser utilizado quando o preço do mesmo for mais baixo que o do leite vendido. Pode ser oferecido desde os primeiros dias de vida, mas é importante utilizar um produto de ótima qualidade, pois, nas primeiras semanas de vida os bezerros ainda não conseguem utilizar bem a ração e apenas bons produtos ou o leite consegue supri-los completamente. A partir de 30 dias de idade o bezerro consegue aproveitar de forma mais efetiva a ração e suprir as deficiências do sucedâneo. Mas ainda é importante observar a qualidade do sucedâneo no momento da compra. Esse deve ser fácil de preparar e administrar, palatável, não sedimentar, pobre em fibra (máximo 2,0%), rico em proteína (20 a 22%), rico em energia até 17% de gordura (mínimo de 80% de NDT) e enriquecido com minerais e vitaminas. A água para a mistura deve ser de boa qualidade e a diluição deve ideal deve ser 1:8.

O leite de descarte de vacas com mastite ou com resíduo de antibióticos é muito usado para alimentação dos bezerros. A sua utilização é questionada devido ao risco de transmissão de doenças além da resistência a antibióticos pela constante ingestão do alimento. Caso seja indispensável a utilização do leite de descarte o fornecimento deve ser para os bezerros que possuem mais de 30 dias de idade.

Cerca de 70% do peso de um bezerro se deve à água presente em seu corpo. A água é fundamental para diversas funções do organismo e por isso deve ser oferecida aos bezerros desde os primeiros dias de vida. Uma das doenças que mais atinge bezerros em aleitamento é a diarréia. Esta doença leva a grande perda de água nas fezes e à morte por desidratação. Por isso, a atenção ao fornecimento e ingestão de água por bezerros com diarréia deve ser ainda maior.

Por Sandra Gesteira Coelho - Departamento de Zootecnia da Escola Veterinária da UFMG

 

Por Sandra Gesteira Coelho - Departamento de Zootecnia da Escola Veterinária da UFMG

Aproleite - Sudoeste de Minas

contato

Avenida Comendador Francisco Avelino Maia, 4050
Passos / MG
(35)3526-2345
aproleitepassos@gmail.com

a associação

Criada para dar sustentabilidade econômica aos seus associados, a APROLEITE - Associação dos Produtores de Leite do Sudoeste de Minas, com sede em Passos/MG, chega à marca dos 13 anos de fundação, no dia 29 de novembro de 2016, com conquistas relevantes para os produtores associados.

Leia Mais